15.12.07
 

            Era noite de Natal. Estava no meu quarto, sim porque ainda não era meia noite, estava a ouvir música, quando de repente a música parou. Pensei que tivesse ficado sem pilhas, mas não.

            Uma luz branca reluziu e iliminou o meu quarto e um fio de ouro encontrava-se no tecto do meu quarto, e este descia na minha direcção.

            Levou-me!

            Fui parar a um sítio lindo, cheio de neve, mas o mais estranho é que não estava frio nem a neve era feita de gelo. Tudo parecia mágico. Caminhei, caminhei, até que encontrei uma casa. Fui espreitar pela janela para ver o que era, e fiquei espantada. Estava lá um Homem Gordo com umas pessoas pequeninas. Eu nunca acreditei no Pai Natal , mas aquilo que eu via parecia mesmo realidade!!

            Bati à porta.

            - Posso?

            - Claro que sim! – disse o Homem Gordo.

            - Mas...

            - Mas o quê?

            - Quem é o senhor?

            - Não me reconheces?

            - É...

            - Sim, sou o famoso Pai Natal. E sei também que tu não acreditavas que eu existia!

            - Pois! Desculpe...

            - Não faz mal! O que queres pelo Natal?

            - Eu pedi um mp3 aos meus pais.

            - Ai sim?! Então está bem! Eu vou ver o que tenho para aqui! Vem comigo que eu mostro – te.

            O Senhor Gordo, como eu lhe chamo, levou – me a uma sala gigante que só tinha mp3’s. Mostrou – me quase todos.

            - Gosto desse! É mesmo esse que eu quero! – Exclamei eu.

            De repente tudo desapareceu à minha volta!  Acordei, a minha mãe estava a chamar - me para abrir as prendas . Percebi que tudo o que tinha contecido, não tinha passado de um sonho e que aquele Senhor Gordo não tinha passado da minha imaginação!

            Fui abrir as prendas. Até que cheguei à última . Tinha um toque especial um aspecto diferente. Abri, e para minha supresa, era quele mp3, exactamente aquele mp3. Aquele que eu tinha escolhido no sonho.

            Tinha lá uma pequena carta que dizia:

            “ Tudo o que tu viste, não foi imaginação! Nunca deixes de acreditar nas coisas só porque os outros te influenciam a fazê – lo, sê tu mesma”

            Nunca esqueci aquela mensagem e é por isso mesmo, que já passaram mais de 10 anos, e estou aqui a escrever este texto.

 

 Feliz Natal

Joana Cardoso

tags: ,
publicado por Margarida às 23:31

gostei...
Anónimo a 16 de Dezembro de 2007 às 00:11

o meu texto!!!! =D
bgd stora por publica-lo! o blog ta 6*....tem mesmo jeito para isto!


feliz natal e bom ano novo
joana cardoso
joana a 16 de Dezembro de 2007 às 18:20

feliz ano tbm pa ti.
o teu txto e 1 bcd fantasioso,
so tu pa ters sonhos asim
adews
mariana a 30 de Dezembro de 2007 às 19:44

joana o Pai natal nao existe!!! ;P mas nao sou eu q digo é u nilton! ta no livro dele!!lolol brincadeira! ta giro o texto sin senhor.
catarina a 14 de Janeiro de 2008 às 19:30

joana o Pai natal nao existe!!! ;P mas nao sou eu q digo é u nilton! ta no livro dele!!lolol brincadeira! ta giro o texto sim senhor.
catarina a 14 de Janeiro de 2008 às 19:31

Página destinada à publicação dos trabalhos dos alunos do 8º C - 07/08
mais sobre mim
Dezembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


arquivos
2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
blogs SAPO